Acompanhar

R$27,00

Desvelando a comunidade ontológica

Livreto + 1 DVD

Conferência ministrada na abertura do I Simpósio Internacional de Acompanhamento Terapêutico realizado em São Paulo – 29 de agosto de 2008 

AAT – UNIP – Livraria Resposta

Trecho inicial da conferência A razão desta conferência  é enfatizar a necessidade atual de acessar a noção de acompanhar no seu sentido mais originário.
Este evento é importante e realiza-se em vários locais, neste momento histórico, porque visa resgatar o que o acompanhar tem de mais fundamental. Do ponto de vista histórico, o acompanhamento terapêutico era um coadjuvante ao lado de práticas terapêuticas, surge para auxiliar um trabalho que vinha sendo realizado.
É interessante que esse fenômeno ocorreu porque assinala que as práticas terapêuticas empregadas até aquele momento reconheciam um limite nas suas possibilidades de intervenção. Havia o reconhecimento que havia necessidade de um procedimento que pudesse contemplar de maneira mais ampla o cotidiano, a vida da pessoa que precisava de ajuda naquele momento. Isso aponta, no meu modo de ver, a questão fundamental de se abrir intervenções que estejam de fato próximas do viver.
É interessante que isso tenha ocorrido naquele momento em que havia a reflexão nas ciências humanas quanto aos rumos da educação e da psicologia, a preocupação com o excesso de profissionalização e especialização, isto é, com práticas mais definidas pela técnica do que pelo contato humano.
Embora AT fosse no início um coadjuvante, é importante reconhecer que é um procedimento adequado e necessário a esse momento histórico, principalmente pelo fato de que se trata de uma modalidade de trabalho que contempla as necessidades fundamentais do paciente e também do ser humano no mundo contemporâneo. Ficamos perplexos porque, neste momento, cada vez mais  temos uma organização de mundo em que rareia a possibilidade do convívio, do encontro e interlocução em decorrência de como o mundo é organizado atualmente e da hegemonia do mundo digital. Este torna a  faceta do encontro humano como elemento necessário não só nos processos clínicos mas no estabelecimento, na resistência para se preservar o fenômeno humano em si.
Para discutir essa questão decidi tomar uma situação familiar, passível de ser acessada por todos nós, onde o acompanhar aparece como elemento ético, como restauração da condição humana. Vou ler um texto muito bonito, que é a correspondência, entre Lou Andrés-Salomé e Rilke. No momento desta correspondência Rilke estava passando por uma crise importante, se sentia como que morto. Isso ocorre em 1914, e Salomé decide acompanhar Rilke, mas não de forma psicanalítica.

COD: 4763
Categoria: Uma formação clínica baseada na ética para o mundo contemporâneo
Autor: Gilberto SafraEditora: Sobornost
Tipo: DVD 

voltar para Cursos e Conferências em DVD e MP3

left tsN fwB show|left tsN fwB bsd b01s|left show fwB bsd b01s|bnull||image-wrap|news fwB tsN fwR tsY b01 c05 bsd|normalcase fsN fwR c05|b01 c05 bsd|news login normalcase fwR b01 c05 bsd|tsN normalcase fwR c05|b01 normalcase c05 bsd|||