CURSO COMPACTO - Psicanálise: Possibilidades e Limites

R$99,00

Conferências ministradas no I Congresso de Psicanálise do Piauí - junho 2008

Livreto + 2 DVDs

DVD 1 - Novas modalidades de subjetividade na atualidade - 1 hora e 43 minutos

DVD 2 - Manejo da situação clínica na atualidade - 1 hora e 33 minutos

O evento O Prof. Gilberto Safra foi convidado a falar neste congresso em Teresina para um público que ainda não o recebera. Desta forma foi levado a fazer uma síntese do seu pensamento que ao mesmo tempo é ampla, característica e singular de sua maneira de ver a clínica, o que o momento histórico em que vivemos repercute nas necessidades de condução do trabalho psicanalítico. O Prof. Gilberto fez duas conferências neste congresso, sendo uma a da abertura do evento. As duas conferências são complementares e formam uma unidade. A seguir o trecho inicial de cada uma delas, para que se possa ter uma idéia dos temas tratados. Primeira conferência (abertura do Congresso)
Tema: Novas modalidades de subjetividade na atualidade (trecho inicial) Implícito neste tema há que se reconhecer a presença de um vértice que aponta  a importância da história na subjetividade humana. O ser humano está inserido na história, ele é agente da história. Mas um aspecto fundamental é que a história comparece em cada ser humano não só porque é o campo no qual vive e acontece, mas a história sofre um processo em cada um de nós, por meio do qual os acontecimentos  decorrentes do cotidiano e da cultura são subjetivados. A história acontece fora de nós, estamos inseridos nela, mas comparece no modo como nossa subjetividade se organiza e se apresenta.
O  Homem é ser histórico mas é também história presentificada. Cada um carrega facetas fundamentais da sua biografia, algo profundamente pessoal, mas cada um de nós testemunha e apresenta as questões fundamentais do nosso tempo.
Quando temos no consultório a oportunidade de ouvir, a pessoa nos fala das suas problemáticas, das suas questões e angústias. Ao falar de si ela fala também de todos. Fala de tudo que de algum modo a afeta , que ela testemunha e que comparece no interior da sua subjetividade. Trabalho há mais de 30 anos em psicanálise e um dos fenômenos que se tem oportunidade de observar ao longo do tempo é que gradualmente pessoas que chegam ao consultório neste momento histórico, chegam com um tipo de sofrimento e problemas que demandam uma forma peculiar de escuta e manejo. O que implica que no cotidiano da prática se precisa estar em processo de investigação a respeito da subjetividade humana e dos modos pelos quais a análise deve ser conduzida para responder a angústias atuais.
Ao longo desses anos fui obrigado, a partir do que ocorria no consultório, das dores dos analisandos, a reconhecer essas novas formas de subjetividade que demandam que a prática do cotidiano pudesse ser reinventada.
Para o que nos vamos conversar hoje importa que possamos partir de alguns pontos fundamentais para ser possível a vocês compreenderem o que vou comunicar. O primeiro ponto é que cada ser humano é singular mas essa singularidade é a singularidade da história de toda humanidade. Ser singular é um procedimento de singularizar a história de toda  humanidade. A pessoa carrega suas questões pessoais  entrelaçadas com questões dos seus ancestrais e com problemas dos contemporâneos, e se presentificam expectativas a respeito dos que virão. Segunda conferência
Tema: Manejo da situação clínica na atualidade (trecho inicial) A fim de poder abordar a questão do manejo clínico na contemporaneidade, seria importante que pudéssemos voltar nossa reflexão  ao modo como a situação clinica é estabelecida e fundada, quais são seus princípios fundamentais.
Do ponto de vista clássico, há um livro de referência internacional sobre o campo da psicologia clínica, Handbook of Clinical Psychology, escrito por Volberg. Este autor tenta explicitar como se dá a situação clínica no mundo. Mostra que, entre diferentes concepções clínicas, por exemplo, temos o que denomina, perspectivas psicodinâmicas. Estas são as que compreendem a situação clínica como espaço intersubjetivo em que há uma definição da situação por meio do fluxo de comunicação psíquica e intercopórea entre os participantes da situação clínica, de modo que se vai investigar e intervir nesta dinâmica interpessoal, intersubjetiva e  intercorpórea que se dá numa determinada situação clínica.
Ele aponta que o campo das perspectivas psicodinâmicas é amplo e caracteriza a psicanálise como a perspectiva pela qual se define o campo intersubjetivo e intercorpóreo a partir do conceito de transferência. O campo das  psicologias psicodinâmicas (e a psicanálise é uma das perspectivas psicodinâmicas) opera pelo conceito de transferência.
Quando pensamos na situação clínica do ponto de vista psicanalítico como  um campo definido a partir do conceito de transferência  precisamos compreender como as diferentes concepções  de transferência  que existem na psicanálise definem a situação clínica de modo peculiar.

COD: 3975
Categoria: Uma formação clínica baseada na ética para o mundo contemporâneo
Autor: Gilberto SafraEditora: Sobornost
Tipo: DVD DUPLO Especial 

voltar para Cursos e Conferências em DVD e MP3

left tsN fwB show|left tsN fwB bsd b01s|left show fwB bsd b01s|bnull||image-wrap|news fwB tsN fwR tsY b01 c05 bsd|normalcase fsN fwR c05|b01 c05 bsd|news login normalcase fwR b01 c05 bsd|tsN normalcase fwR c05|b01 normalcase c05 bsd|||