Literatura e Ciência: modalidades de acesso ao conhecimento

R$27,00

livreto (4 pág) + 1 CD de áudio MP3

livreto (4 pág) + 1 CD de áudio MP3

Aula 15 do CURSO COMPLETO Orientando projetos e teses na perspectiva winnicottiana

Aula ministrada em 16 de junho de 2009
Gravada em CD de áudio MP3 - duração total: 1 hora e 2 minutos

Você pode adquirir esta aula separadamente ou como parte do CURSO COMPLETO Orientando projetos e teses na perspectiva winnicottiana.

PARA VER O CURSO COMPLETO CLIQUE AQUI



Trecho inicial da aula 15
Literatura e Ciência: modalidades de acesso ao conhecimento

Essa é a discussão! Este trabalho apresenta um aspecto interessante: usar a literatura como forma de  conhecimento. Isto é instigante do ponto de vista epistemológico.  Nesse sentido, se formos utilizar a literatura como forma de conhecimento não teremos mais Psicanálise Aplicada, estamos em  outro estatuto de investigação.  Vamos conversar um pouco hoje sobre isso que é interessante à beça!
Um dos aspectos interessantes na atualidade, no campo da epistemologia, é exatamente a discussão sobre a relação da literatura com a ciência. Essa discussão tem raízes históricas antigas, mas ganha bastante importância a partir do positivismo. Quando as humanidades e o positivismo como paradigma do científico se distanciaram. A literatura, a partir desta visão, acabou sendo vista como algo que estaria no campo da irracionalidade ou no campo estético, mas que pouco valor teria para ciência propriamente dita. À medida que o campo das humanidades ganhou vigor este tipo de dicotomia foi também reposicionado por vários autores que discutem epistemologia científica, metodologia. Vou mostrar para vocês algumas perspectivas destas discussões, algumas vertentes.
Pouco a pouco se foi considerando a literatura como uma forma de conhecimento entre outras, principalmente quando se passou a questionar o paradigma positivista como referente fundamental do que seria científico. Essa discussão na verdade alcança o Ocidente mais em meados do século XX, com maior vigor, mas já se colocava na Rússia no final do século XIX. Os autores filósofos russos do século XIX que estavam relacionados como da Idade de Prata ( Silver Age) , entre os quais Dostoievski, começaram a discutir os rumos da filosofia e da ciência ocidental. Participaram, além de Dostoievski, Tolstoi e filósofos de grande envergadura. Quem inicia no século XIX essa discussão na Filosofia com grande impacto é Vladimir Soloviev. Este autor tem dois livros muito interessantes a este respeito, um deles é a Crise da Filosofia Ocidental e um outro é Princípios de Conhecimento Integral. Estes livros são disponíveis em inglês e francês. Obs. Bibliografia desta aula (os títulos com link estão disponíveis na Livraria Resposta)
 
Alfredo Bosi: Literatura e Resistência
Gadamer: Verdade e método
Edgar  Morin: Pensamento complexo
Florensky: The Pillar and Ground of the Truth
Bakhtin: Texto como outro

COD: 161403
Categoria: Artes e Literatura na Formação clínica
Autor: Gilberto SafraEditora: Sobornost
Tipo: CD-MP3 

voltar para Cursos e Conferências em DVD e MP3

left tsN fwB show|left tsN fwB bsd b01s|left show fwB bsd b01s|bnull||image-wrap|news fwB tsN fwR tsY b01 c05 bsd|normalcase fsN fwR c05|b01 c05 bsd|news login normalcase fwR b01 c05 bsd|tsN normalcase fwR c05|b01 normalcase c05 bsd|||