Mitopoesis: organizar, destinar, pertencer e desvelar

R$49,00

Reflexões a partir de entrevistas de Clarice Lispector com Bibi Ferreira e Helio Pellegrino

Livreto + 1 DVD

Aula ministrada em 24 de outubro de 2008 

Trecho inicial da aula: Mitopoesis: esta denominação assinala a característica de um fenômeno que ao mesmo tempo  é uma configuração imaginária e um elemento pelo qual se desvela uma das facetas fundamentais da condição humana, da situação de vida. A  nomeação de mitopoesis entra em contraponto com a noção de um mito visto como algo que distorce a realidade. Mitopoesis é uma constituição  da realidade e um desvelamento da realidade por meio de uma configuração imaginária.
Nesta perspectiva, percebemos que o mitopoesis apresenta algo do originário, da condição humana, uma organização imagética e se percebe que ele tem duas faces fundamentais no modo como se organiza.
Uma das faces é sua organização como uma apresentação poética. Ele tem uma qualidade poética e se   caracteriza como experiência  poética. Há uma imagem, uma palavra que pertence ao mundo, mas que  é quebrada justamente para revelar algo de inédito. Há sempre no modo poético de aparição e recriação do que estava estabelecido para que haja este acesso a uma faceta inédita. É característica do poético sempre vir de fora do conhecido e do estabelecido.
Outra faceta nos mostra que o mitopoesis  aparece sempre como uma concepção peculiar sobre o sagrado. Estes são os dois modos de reconhecimento do mitopoesis. Estes dois modos podem ocorrer simultaneamente.
Um aspecto importante do mitopoesis é que ele é um organizador psíquico. Encontramos na própria historia da psicanálise essa faceta abordada pelo fato de que alguns autores encontram de maneira privilegiada uma certa apreensão, um elemento mitopoético que para este autor é o organizador central do psiquismo. Assim, para Freud, o mito edípico é o elemento fundamental na organização e constituição psíquica, é o grande organizador. Todo pensamento freudiano dialoga com este mito edípico.
Em Winnicott o mito organizador é o bebê no colo de sua mãe. Esta imagem é  o elemento organizador do psiquismo humano. Quando se considera essa faceta mitológica como organizadora se percebe que, para este autor,  este mitopoesis é a referencia fundamental por meio do qual  vai interpretar e compreender o fenômeno humano. Para Lacan, o seu pensamento é organizado em torno do homem e seu duplo, sua imagem especular. Este é o mito organizador do pensamento lacaniano e podemos ir caminhando nessa trilha e reconhecer cada pensador e autor em psicanálise  privilegiando uma determinada organização imagética como elemento fundamental de organização teorização e compreensão do fenômeno humano.
 

COD: 5449
Categoria: Artes e Literatura na Formação clínica
Autor: Gilberto SafraEditora: Sobornost
Tipo: DVD 

voltar para Cursos e Conferências em DVD e MP3

left tsN fwB show|left tsN fwB bsd b01s|left show fwB bsd b01s|bnull||image-wrap|news fwB tsN fwR tsY b01 c05 bsd|normalcase fsN fwR c05|b01 c05 bsd|news login normalcase fwR b01 c05 bsd|tsN normalcase fwR c05|b01 normalcase c05 bsd|||