Transferência: a evolução do conceito - aulas 11 e 12

R$49,00

Curso completo ministrado em 2011

1 livreto (4 pág.) + 1 CD de áudio

Aula 11: A transferência com pacientes psicóticos: a contribuição de Frida From Reichman - 25/10/2011

Aula 12:  A transferência narcísica: a contribuição de H. Kohut - 08/11/2011

Gravadas em CD de áudio MP3 Objetivo do curso

Mostrar a evolução deste conceito desde a clínica freudiana até a clínica winnicottiana, sempre sob o olhar original de Gilberto Safra. Será percorrido o conceito de transferência ( temporal e espacial) desde a interpretação desta como resistência até o conceito de transferência como lugar da constituição do psíquico e, para além deste, como fenômeno da ética, criação do inédito, lugar de experiência intersubjetiva e transformadora (espaço potencial). Em cada aula se trabalhará um autor. Alguns dos autores a serem estudados (provavelmente): Ferenczi, Strachey, Greenacre, Aichhorn, Melanie Klein, Anna FreudWinnicott, Kohut, e outros que fizeram contribuições relevantes para este tema central para a clínica e para as relações humanas universalmente falando. Trecho inicial  da aula 1 Neste semestre vamos tomar o conceito de transferência e abordá-lo do pronto de vista histórico. Em primeiro lugar, a razão de se focalizar o conceito de transferência, é pelo fato de que este conceito é considerado fenômeno essencial  do processo psicanalítico. Tradicionalmente se reconhece a existência de diferentes perspectivas psicoterapêuticas e psicodinâmicas, mas se reconhece que nas psicanálises, embora haja diversas escolas, com diferentes manejos clínicos, diferentes compreensões da constituição da subjetividade, no entanto todas elas se assentam numa certa compreensão do fenômeno transferencial. A própria possibilidade que encontramos na literatura contemporânea, de se usar o método psicanalítico para fora da relação tradicional psicanalista-paciente, no campo social, nas artes, na religião, enfim, todas as pesquisas em psicanálise implicam a possibilidade de um reposicionamento, de uma compreensão, de uma formulação sobre o conceito de transferência e como ele pode ser aplicado nestes diferentes campos de trabalho e investigação. Por esta razão é importante que do ponto de vista, não só clinico, mas da pesquisa no campo psicanalítico, possamos ter clareza do referencial que estamos utilizando e também ter a oportunidade de desenvolver uma reflexão teórico-crítica sobre o próprio conceito. E esta possibilidade passa fundamentalmente por uma leitura histórica, na medida que esta interfere na forma como o conceito é apresentado em decorrência dos fenômenos sócio-culturais que de algum modo afetam a maneira como se compreende o fenômeno humano e também como se vai formular ou teorizar a respeito da clinica psicanalítica ou da pesquisa em psicanálise. O que faremos neste curso é trilhar as diferentes concepções e reposicionamentos e ampliações do conceito sobre transferência. Este é nosso percurso. Se pode reconhecer na literatura em psicanálise que, inicialmente, Freud considerou o fenômeno transferencial como um fenômeno eminentemente negativo ao processo, na medida em que compreendeu este fenômeno como fruto, expressão da resistência ao processo. Mas o que se percebe é que à medida que a pesquisa em psicanálise nas diversas escolas e no próprio Freud, sem ampliou, se foi considerando mais e mais o fenômeno transferencial não como negativo ao processo, à clinica, mas como fenômeno fundamental que possibilitaria o evento de transformação psíquica de acesso às diferentes faces do fenômeno humano. Se percebe este deslizamento de uma perspectiva de concepção de transferência, como resistência para a transferência como lugar que possibilita o fenômeno de transformação. Também podemos reconhecer, falando de forma ampla, que a compreensão sobre transferência parte de uma compreensão de um fenômeno transferencial como acontecendo no campo das representações psíquicas que estariam se deslocando, para então se ampliar ao longo dos anos, para compreender o próprio fenômeno transferencial para além do campo representacional.  Aí nós temos não mais uma compreensão da psicanálise como ressignificação das representações originárias, que estariam possibilitando o fenômeno transferencial, mas vamos ter o campo transferencial sendo compreendido como lugar de acontecimento, como lugar de experiência. E nesse sentido vamos ter autores  que vão cada vez mais apresentar o fenômeno transferencial  não simplesmente como algo relacionado ao campo representacional, mas como lugar da emergência do novo, como lugar da constituição mesmo do ser humano. É uma compreensão em que o ser humano estaria continuamente no entre e sua constituição como ser humano acontecendo sempre nos encontros com o outro. Temos  uma abertura da compreensão do fenômeno transferencial que vai caindo para o campo da experiência intersubjetiva, do terceiro lugar, do fenômeno que possibilitaria o evento novo e constitutivo e não simplesmente um evento que estaria sendo continuamente ressignificado. Se percebe que o fenômeno transferencial  parte desta perspectiva representacional e passa ao longo dos anos do desenvolvimento da psicanálise, das questões que se discute em filosofia, sendo compreendido a partir desta perspectiva em que o ser humano acontece sempre diante do outro. Sai então, cada vez mais, não só do campo representacional, mas os fenômenos que se encontraria no campo transferencial vão se movendo da dimensão psíquica, lugar do campo representacional por excelência, para o campo da ética. É interessante poder então fazer um estudo histórico para que possamos perceber como este conceito vai sendo lapidado, transformado, ampliado por diferentes autores que foram se ocupando dessa perspectiva ao longo dos anos. Daí a importância deste vértice teórico crítico para se perceber como o próprio conceito sofre mutações ao longo da história, possibilitando novos dispositivos clínicos e a ampliação da clinica para além da clinica tradicional. Do campo da transferência como resistência para transferência como lugar de acontecimento.

COD: 217866
Categoria: Uma formação clínica baseada na ética para o mundo contemporâneo
Tags: Frida From Reichman, Heinz Kohut, Melanie Klein, Sándor Ferenczi
Autor: Gilberto SafraEditora: Sobornost
Tipo: CD-MP3-Triplo 

voltar para Cursos e Conferências em DVD e MP3

left tsN fwB show|left tsN fwB bsd b01s|left show fwB bsd b01s|bnull||image-wrap|news fwB tsN fwR tsY b01 c05 bsd|normalcase fsN fwR c05|b01 c05 bsd|news login normalcase fwR b01 c05 bsd|tsN normalcase fwR c05|b01 normalcase c05 bsd|||